segunda-feira, 19 de julho de 2010

{Mania de fones}




Os fones de ouvido viraram companheiros inseparáveis de milhares de pessoas de todas as tribos, idades e credos. Nos ônibus, nas ruas, nos supermercados, nos shoppings, por onde se olha, existe uma pessoa concentrada em seu mundo, curtindo a sua música e aproveitando seu passeio embalado por suas músicas favoritas.

Os estilos de música são os mais variados, mas o volume é quase sempre o mesmo. “Quanto mais alto, melhor”, essa frase é unanimidade entre os jovens, o que pode provocar danos alarmantes no futuro. Mas se for usado de maneira moderada pode ser considerado um ótimo exercício de reflexão.


Concentrado em seu mundo, seguindo seu caminho, tranquilo e anestesiado pelo embalo que nos livra dos estresses do dia a dia; a música é um ótimo estimulante para reflexões diárias. Para algumas pessoas ajuda muito na concentração. Para outras, transforma o caminho de volta para casa no momento mais almejado, relaxante e tranquilo do dia. Também ajuda a pensar, ou simplesmente enfrentar o cotidiano.
Aah! Como um simples aparelhinho e sua música preferida podem deixar seu dia melhor.

É incrível a reação das pessoas com a música, o poder que ela possui sob o ser humano. Ritmos, sons e letras são uma força poderosa para evocar emoções e aproximar as pessoas. Ao se identificarem com as mesmas músicas, muitas pessoas se aproximam, e muitas também se afastam por discordarem de gostos.

As pessoas também se valem da música para traduzir ou extravasar sentimentos e, nesse caso, escolhem a dedo a trilha sonora de um momento. Atire o primeiro CD quem nunca ouviu repetidamente a mesma faixa! 

A música passa a ser tão importante em nossa vida que sai de nossas casas e nos acompanha até nas ruas. Deixando nossos dias iluminados e cheios de melodia, transformando cada passo ritmado. 


Pois então, é assim que o encontro do sentimento com a música acontece. Usamos a melodia, o ritmo e a letra e agora os passos, para decodificar nossas imagens mais íntimas. “A música mobiliza conteúdos do inconsciente e aflora as emoções”, afirma o psiquiatra Tito Cavalcanti.


A chave que abre os cadeados e libera os códigos das emoções está embutida na construção musical de uma canção, cada nota, cada pausa, ajudam a resgatar até a mais perdida alma.



Escrevi ouvindo: Creed - Roadhouse Blues

segunda-feira, 5 de julho de 2010

{O medonho-esperançoso MEDO}


Porque sentimos medo?! Qual o problema com esse sentimento que nos proíbe de fazer o que necessitamos, o que temos realmente vontade, de experimentar algo novo, sensações, sentimentos, na maioria das vezes envolve o medo. O medo pode nos estimular ou nos proibir, depende de você. Para pessoas acomodadas deve ser uma porta pesada e fechada, mas para pessoas que adoram um desafio e que amam a vida, e que mesmo com seus problemas possuem vontade de viver, o medo pode ensinar muito.
Às vezes esse medo, essas dificuldades estão querendo lhe mostrar alguma coisa, pense nisso. O que ele está querendo de você???

Dizem que ter medo é bom, pois a capacidade de enfrentá-lo proporciona coragem. Ter receio é bom, pois nos faz pensar duas vezes antes. Mas coragem é sinônimo do quê, além de bravura? Existem vários sinônimos para esta palavra, mas o que adquirimos ao conquistarmos a coragem, enfrentando o medo é muito mais valioso do que seu significado, é o conhecimento, é a vivencia de um fato, a experiência, uma história de conquista. Uma vitória!

Acho que sentir medo é normal, afinal, experiência que nunca foram vividas, originam medo, mas deixar de vivê-las sempre, se restringir, viver sob a influência do medo já não é normal. Esconder-nos atrás de uma armadura ou uma parede com medo de viver experiências novas na vida é caminhar sem enxergar o que existe de maravilhoso, é morrer aos poucos. Pois a vida é um raio, um momento...passa rápido.

Acho que o que devemos fazer em momentos de medo é resgatar as nossas melhores lembranças, refletir sobre quem somos e o que somos capazes, nunca se menospreze, você pode se surpreender consigo mesmo, enfim, nos resgatar, tirar proveito de tudo que já nos aconteceu, confiar na sua capacidade, respirar fundo (ajuda a oxigenar o cérebro rs) e tentar enfrentar seu medo da sua maneira, fazer porque você quer, não porque está sendo pressionado, fazer no momento que você estiver preparado....e BAAM! Quando você vê, viveu um experiência nova, e é assim que vamos chegando perto da felicidade, aos poucos, da sua maneira, enfrentando seus medos.
“Na próxima vez que você tiver uma dor de cabeça, antes de perguntar onde está o analgésico, procure se questionar: O que esta dor de cabeça está querendo me dizer? E por favor, escute a mensagem!” Procure ouvir mais sua voz interior, estimule-a!

Escrevi ouvindo Gavin Degraw – Indian Summer

{Frases do Filme "A vida secreta de Walter Mitty"}

  {"As coisas bela da vida não pedem atenção". “Ver o mundo e os perigos que virão, ver por trás dos muros, chegar mais pe...